Menopausa! E agora?

O que é a Menopausa?

Um dos momentos mais difíceis da vida da mulher é a menopausa. Esse termo marca o dia em que a mulher “para de menstruar“. Mas, muitas vezes, ela é confundida com o climatério que efetivamente é o período pelo qual a mulher passa por irregularidades menstruais, insônia, perda da libido, irritabilidade, alterações de memória, etc.

 

Porque a reposição hormonal foi relacionada com Câncer?

O tratamento da menopausa é controverso até hoje e, por isso, sofreu diversas modificações nos últimos anos. Para fazer um paralelo histórico vamos voltar em 2002 ano em que foi publicado o estudo WHI que levantou suspeitas da relação entre a reposição hormonal com Estrogênio Equino Conjugado (Premarin) + Medroxiprogesterona (Provera) e o aumento da ocorrência de câncer (em especial o de mama)… Claro que desde então a queda no uso de hormônios para tratamento da menopausa foi de 80%.

 

Como então podemos tratar a Menopousa?

Recentemente, com o advento dos hormônios base ou isomoleculares a terapia de reposição hormonal (TRH) ganhou um novo capítulo. A revista médica de maior prestígio no mundo, o New England Journal of Medicine publicou em 2016 uma ótima revisão mostrando a importância do tratamento hormonal e não hormonal na menopausa. De forma interessante o artigo comenta que o estudo WHI foi feito com mulheres em idade média de 63 anos, fora da realidade do tratamento de hoje que está sendo feito em mulheres entre 40 e 50 anos. Outro fato, também apresentado pelo artigo, é sobre o desuso dos derivados hormonais: Estrogênio Equino Conjugado (Premarin) + Medroxiprogesterona (Provera) e, também de sua via de administração: a oral. O que contrasta em absoluto com o crescimento do tratamento hormonal com hormônios base por via transdermica (gel) como cita o próprio artigo.

 

Qual o custo x benefício?

A maior reflexão que devemos fazer é o quanto essas mulheres não tratadas (com hormônios ou não) podem estar sofrendo com os sintomas da menopausa, entre eles: insônia, perda da libido, irritabilidade, alterações de memória, perda da produtividade e etc… Sintomas estes que podem trazer consequências catastróficas para a vida das mulheres que possuem um cargo de responsabilidade no trabalho, um relacionamento estável, estresse com filhos na adolescência, familiares idosos… Enfim, qual o próximo passo para as mulheres? Não tenho dúvidas que podemos e devemos fazer muito por elas! A terapia de reposição hormonal não é para qualquer mulher, existem indicações e contra-indicações, por isso, tenha sempre o acompanhamento médico.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.